Projeto da Escola Princesa Isabel é selecionado para a etapa estadual da IV Conferencia InfantoJuvenil Pelo Meio Ambiemte.

02/10/2013 21:29

 

 
   

 

 


 

 

 

 


Projeto Água Vida Viva

 

SÃO MIGUEL DO GUAPORÉ-RONDONIA-BRASIL

MARÇO DE 2013

 

 

Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Princesa Isabel

Rua: Noroeste nº 2480 – Bairro: Centro

Cidade: São Miguel do Guaporé estado de Rondônia

Fone: (69) 3642 – 2343

e-mail: escolaprincesa7@gmail.com

Diretor: José Evandro de Morais

Vice-diretora: Sandra Maria Pereira Campos Silva

Supervisoras: Euvania Rodrigues

Nailsa Rodrigues dos Anjos

Terezinha Alice C. Ciechorski

Coordenadores do projeto:

Professores: Evanildo JS Rodrigues

José Evandro de Morais

 

IDENTIFICAÇÃO

Projeto elaborado com o objetivo de reduzir o consumo de água fornecido pela CAERD nas dependências da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Princesa Isabel, através do consumo responsável e da reutilização da água da chuva e de limpezas leves como sobras de águas de torneiras, limpeza do pátio e jardinagens.

INTRODUÇÃO 

O projeto “AGUA VIDA VIVA’’, prevê a implantação de um sistema de recolhimento para reutilização da água da chuva e bebedouros para fins não potáveis, promovendo a redução de custos e educação para a gestão ambiental escolar. O projeto “AGUA VIDA VIVA’’ nasceu da preocupação com o desperdício de água nas dependências da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Princesa Isabel, devido o auto uso para lavar pátios e calçadas. Tendo em vista que a água ate então utilizada pela escola é oriunda de água tratada oferecida pela CAERD, assim, não é aceitável que esta água destinada para a alimentação e higiene pessoal, seja usada para lavar calçadas, paredes, banheiro e irrigar o jardim da escola, enquanto centenas de famílias ainda não têm acesso à água tratada de qualidade em nosso município.

Para isso, definiu-se como objetivo do projeto, reutilizar a água da chuva para melhorar a qualidade de higiene e limpeza, redução de custos com a conta de água além de agregar valor educativo ambiental junto aos alunos da IE e comunidade local, alertando para a grande importância do consumo responsável e sustentável por meio de diversos mecanismos entre eles o uso da água proveniente da chuva e sobra de bebedouros.

  JUSTIFICATIVA

           Através de análise realizada pela equipe gestora e coordenação de projetos, foi constatado que a escola E.E.E.F.M. Princesa Isabel, esta com um consumo de água muito grande, pois a mesma utiliza água fornecida pela CAERD para suprir todas as suas necessidades, como limpeza e higienização da mesma. Atualmente tem se noticiado pela imprensa do mundo toda a escassez de água em varias regiões do mundo e ate mesmo no Brasil, que é um dos possuidores da maior rede de água doce do mundo, mesmo assim, pouco se tem feito para reduzir o consumo da mesma.

           Neste sentido, o projeto “ÁGUA VIDA VIVA” busca em primeira instancia trabalhar sobre o consumo responsável da água dentro da IE, onde serão ministradas palestras sobre a real necessidade do consumo responsável deste bem INSUBSTITUIVEL que infelizmente já se encontra em racionamento em maior parte do mundo. Também, dentro desta primeira etapa, serão dadas orientações aos colaboradores de limpeza e higienização, sobre o consumo correto e necessário deste bem VITAL para nossa existência. 

          Assim, é preciso encontrar mecanismos que busque o consumo sustentável através de políticas de reutilização, conservação e racionamento da água, para garantir que a VIDA possa ser herança deixada por nós aos possíveis futuros viventes deste planeta. Por acreditar ainda, que até mesmo o mar é composto por gotas, que se faz necessário cada ser, garantir que sua contribuição para a vida seja deixada, mesmo que essa contribuição seja do tamanho de uma gota, afinal tudo que existe é composto por partículas microscopias e até mesmo imaginárias, que juntas se forma tudo que existe e que transforma tudo o tempo todo.

.OBJETIVO GERAL

            Reduzir o consumo e custos com água nas dependências da Escola Princesa Isabel.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

  • Proporcionar aos alunos reflexões sobre a real necessidade do consumo responsável da água;
  • Despertar em todo o corpo da IE o dever de cuidar e zelar pelo mais antigo elemento da criação;
  • Identificar a necessidade de conhecer a realidade de regiões onde a escassez de água tortura e mata toda e qualquer sorte de ser vivo que ali vive;
  • Desenvolver o senso de criatividade através de atividades desenvolvidas visando a criação de um projeto científico sustentável onde visa a REUTILIZAÇÃO da água.
  • Promover a interação e o desenvolvimento cultural e social, oferecendo momentos de lazer, diversão, conhecimento e informações para toda comunidade escolar, através de visitas em locais onde a água é tida como meio de sobrevivência atração.

METODOLOGIA

                O projeto ÁGUA VIDA VIVA, consiste numa abordagem teórica e pratica, com pesquisas, apresentações, estudos, oficinas, experimentos científicos e palestras onde tem como principal objetivo, a elaboração de um projeto REAL e SUSTENTÁVEL a cerca do consumo da água.

               Na primeira etapa serão desenvolvidas atividades de classe e extra-classe onde serão apresentados no dia da água. Ainda neste dia, serão realizadas atividades como palestras, vídeos, teatros, exposições de fotografias, maquetes, músicas entre outros, onde levará toda comunidade escolar a refletir sobre o tema proposto, e comprometer-se com a GUARDA deste bem vital para a VIDA em nosso planeta.

                Ainda neste primeiro momento, será realizado estudo e pesquisas por alunos na CAERD para conhecer todo o processo de captação, armazenamento, tratamento e distribuição da água utilizada na cidade de São Miguel do Guaporé, além de uma pesquisa interna sobre a utilização e consumo de água dentro da Instituição de Ensino, a fim de desenvolver políticas internas de cuidados, conservação e consumo RESPONSÁVEL da água.

                O segundo momento será de apresentação e avaliação dos resultados encontrados. Estes resultados serão expostos em formas de gráficos, vídeos, cartazes, relatórios ou outro meio necessário desde que assegure a veracidade e entendimento dos objetivos antes propostos. Ainda neste momento, deverão ser apresentadas as propostas de intervenção com base nas pesquisas realizadas na primeira etapa do projeto.

                  O terceiro momento, será responsável pela documentação como anexos de relatórios, fotos, vídeos entre outros a fim de montar um portfólio que servirá de suporte para a última etapa do projeto que é o desenvolvimento e criação de um CENTRO DE COLETA CAPTAÇÃO E TRATAMENTO DE ÁGUA proveniente das chuvas, torneiras, pias dos bebedouros e limpeza do chão, afim de reutilizá-la em atividades de higienização, limpeza e conservação como descargas para vasos sanitários, irrigação para o jardim e  limpeza do chão dentro da Instituição de Ensino.

IMPORTANTE

                   A etapa de pesquisa na CAERD será compostas por apenas alunos do sexto ao nono ano do ensino fundamental e ensino médio nos turnos matutino, vespertino e noturno, selecionados pela coordenação do projeto e de seus respectivos conselheiros, a fim de assegurar a execução da proposta até então estimulada. Já a etapa final da proposta, é parte de um segundo projeto que será anexado e apresentado separadamente, pois o mesmo é de cunho

patrimonial e por isso deve ser submetida à análise de custos, fonte mantenedora do projeto (programas de melhorias e manutenção da escola, patrocínios, financiadoras...) assim, é de suma

importância que as propostas iniciais do projeto sejam executadas com responsabilidade e

sabedoria, para garantir a transparência e veracidade do objeto em questão.

DEFINIÇÃO PROBLEMÁTICA

A água é essencial para a vida em nosso planeta, em termos gerais pode se afirmar que sem água no estado liquido e doce, não seria possível garantir a vida a todos os seres deste planeta.

 Quase toda a superfície do planeta Terra está coberta por água: água dos oceanos, água dos rios e lagos, arroios e sangas. Água das calotas polares em forma de gelo, água da chuva ...      Com a gravidade, acontece a precipitação dessas águas das nuvens, a conhecida chuva, a encantadora neve (para os brasileiros) e, ainda, o granizo ou geada sobre os continentes e oceanos. Quando congelada, ao invés de se retrair, como acontece com a maioria das substâncias, a água se expande e flutua sobre a parte líquida por ter se tornado mais leve. Ao cair na superfície terrestre, a vegetação se encarrega de reter em suas raízes esses nutrientes que, aos poucos, voltam para o ar em forma de transpiração das plantas. Mas, uma outra parte é evaporada dos lagos, pântanos e rios; mais uma se infiltra no solo e fica conhecida como água subterrânea; e uma terceira, a menor parte dela, conhecida como água superficial, escoa pelos rios, córregos, sangas e igarapés. E assim sucessivamente.   A água utilizável está nos rios, nos lagos, nas águas da chuva e na água subterrânea. No entanto, elas todas juntas correspondem a apenas 1% do volume de água doce.

 Se juntarmos 1,5 litro de água, como a encontramos no planeta, e a dividirmos proporcionalmente, a quantidade de água doce disponível seria equivalente a uma única e insignificante gota. E para complicar tudo, esse pouco que nos resta está cada vez mais poluído, especialmente nas grandes cidades.
      O problema no consumo exagerado e irresponsável de muitas industria, irrigação para lavoura e principalmente no aumento da população mundial. Só no século passado este aumento triplicou o que ocasionou o aumento de fábricas, mais desperdício e mais irrigação nas lavouras. De acordo com o Banco Mundial, cerca de 80 países enfrentam hoje problemas de abastecimento. A situação mais crítica está na Ásia onde, 60% da população vivem com apenas 32% da água doce disponível. O crescimento da população mundial e da produção, associado ao consumo insustentável, impõe pressões cada vez mais intensas sobre o meio ambiente. Torna-se necessário desenvolver estratégias para mitigar esses impactos, pois está prevista uma população superior a oito bilhões de pessoas para o ano de 2020: 65% em áreas litorâneas e 60% em cidades com mais de 2,5 milhões de pessoas.

A agricultura absorve uma média mundial de 70% das provisões de água, uma porcentagem que aumenta para 80 a 90% nos países subdesenvolvidos. Aí encontramos uma média de 20% para a indústria e 10% para usos domésticos e outros. Têm-se em média o consumo de água no mundo: 60 litros de água em uma ducha de 15 minutos; 350 litros para um banho de imersão; 3 litros para escovar os dentes sem fechar a torneira; 140 litros para lavar e enxaguar 10 quilos de roupas; 60 litros (a cada 15 minutos) para lavar a louça sem fechar a torneira e 100 litros (a cada 25 minutos) para lavar o carro sem fechar a torneira.

Atualmente, os grandes problemas ligados à água não acontecem por causa da natureza, mas sim da má utilização com desperdício e imprevidência.      A lei que regulamenta o uso de água no Brasil conhecido como  Código de Águas, que disciplina o aproveitamento das águas no Brasil é de 10 de julho de 1934, ela procura assegurar os interesses gerais da sociedade. No antigo código era possível encontrar domínio privado da água em alguns casos, mas isto foi extinto a partir de outubro de 1988, quando todos os corpos d água passaram a ser de domínio público.
      Ninguém pode negar a importância da água, porque desde que formamos nossa consciência sabemos disso. Desde os primórdios dos tempos o homem já se preocupava com o consumo da água, segundo a história e registros, já nos anos 4.000 anos a.C, surgiram as primeiras leis ou códigos  que regulavam o uso das águas, escritas pelos sumérios. Mas, nem todas as civilizações foram cuidadosas quanto a isso. Os Maias tiveram que abandonar a cidade de Tical, localizada em plena mata tropical, onde se encontram as ruínas da Pirâmide do Sol, porque não souberam armazenar corretamente a água, além de produzirem erosões cada vez maiores e grandes desmatamentos porque usavam madeira até nas estruturas internas das colunas de seus gigantescos templos.
Distribuição de água na Terra em km³

Fonte: www.aguasubterranea.hpg.ig.com.br/ciclo.htm


      A situação da água em alguns países é tão grave que até mesmo a Síria como por exemplo, já colocou até tropas na fronteira com a Turquia para impedir que o país vizinho utilize suas reservas de água. Na fronteira de Israel a situação é semelhante. No Sudeste Asiático, o Laos está em conflito com a Tailândia por este querer represar o Mekong, o que drenaria o Laos. Egito e Uganda lutam pelo rio Nilo, que é sua fonte de vida, já que o futuro da água no território egípcio seja quase zero e onde a superfície, nos dias atuais, se apresenta 97% deserta. Bangladesh, Índia e Nepal em conflito pelo rio Ganges que para os indianos é sagrado e pela crença e tradição tem poder de cura e é reverenciado e adorado por quase todo o seu percurso, mais infelizmente o Ganges esta sendo poluído por grandes indústrias frigoríficas e até mesmo o seu uso pela agricultura esta ficando comprometido. É possível ver uma espessa camada de gordura de origem animal  em sua superfície, devido ao esgoto de restos de matadouros e frigoríficos que despejam milhares de toneladas de restos de sangue, gordura e água suja no Ganges sem nenhum tratamento.

      O Brasil é um país privilegiado em termos de disponibilidade de água pois conta com 28% da disponibilidade sul-americana e de 12% das reservas de água do mundo. Em território brasileiro, 72% da água está localizada na bacia amazônica. O Rio Amazonas tem 6.885 quilômetros de extensão e é o maior do mundo em volume de água, despejando 175 milhões de litros por segundo no Oceano Atlântico. Mais infelizmente o contrabando de água do rios brasileiros principalmente do Madeira e Amazonas se da as vistas das autoridades que nada fizeram de concreto para impedir este absurdo. Os grandes petroleiros saem de seus países de origem carregados de petróleo e retornam carregados de água sobre o pretexto de que é preciso uma grande quantidade de água para controlar o impulso da água sobre a embarcação, assim eles enchem os porões dos navios com até 250 milhões de litros de água em uma única viajem para serem engarrafadas na Ásia, Europa, Oriente Médio, extremo Oriente e até mesmo na China. O crime já foi batizado como HIDROPIRATÁRIA. Como se não bastasse, há navios com tecnologias conhecidas como bolsas d’água e sua capacidade de carregamento muito superior a dos super-petroleiros. Essa tecnologia, como o próprio nome já diz, é composta de uma espécie de bolsa fluvial que é arrastada pelos navios sem serem percebidas facilmente, pois elas ficam imersas na água. Pior ainda é saber que com a água, esta sendo levado embora riquezas naturais como peixes, algas, microorganismo que ainda nem foram descobertos ou estudados, ficando assim nas Mãos de hidropiratas. Este contrabando é muito valioso para os contrabandistas, pois o custo de transporte é praticamente zero, uma vez que a embarcação já retornaria a seus países de origem, e mais, enquanto se gasta aproximadamente 1.50euros para retirar o sal da água (países que tem essa tecnologia) a água roubada dos rios brasileiros da um custo de apenas 0,80 euros por litro, uma vez que as águas destes rios amazônicos ainda não estão

contaminadas com poluentes químicos industriais e sim apenas erosões, o que torna este processo muito vantajoso para os pirateiros de água.

     Não podemos esquecer que vivemos em um planeta em que cerca de 70% de sua superfície é coberta por água. Nas zonas costeiras vivem aproximadamente 60% da população mundial em uma faixa de 60 km de raio dos oceanos; e cerca de dois terços da população mundial moram em cidades de 2,5 milhões de pessoas ou mais, as quais estão próximas a áreas costeiras, sendo que 70% da poluição ambiental, causada por essa população, chega aos oceanos, através da atmosfera e dos rios. Infelizmente, o despejo indiscriminado do lixo em qualquer lugar ou terreno baldio é, ainda hoje, considerado apenas como um delito leve. Essa população, que não pára de crescer, vem engrossando o volume do lixo, pela prática utilização dos produtos one way e das garrafas pet que são jogadas fora quando vazias. O Brasil produz em média 80 milhões de toneladas

de resíduos sólidos urbanos, sendo quase 470 quilos por habitante, destes apenas uma pequena parte consegue ser reciclada ou reutilizada.

      Temos presenciado no Brasil grandes desastres por deslizamento de encostas e enchentes provenientes das chuvas, principalmente em grandes centros urbanos, pois normalmente a grande quantidade de lixo descartado de forma irresponsável acabam entupindo a boca de bueiros e pequenos riachos e todo o acumulo de água fica represada causando assim os comum desastres e danos tanto materiais como de vidas todos anos nas cidades brasileiras.                   

RECURSOS HUMANOS

- Professores;

- Alunos;

- Equipe Gestora da escola;

 - Supervisores;

- Orientadores;

- Equipe de Apoio;

- Merendeiras;

- Vigilante;

- Zeladoras.

RECURSO MATERIAIS

       Data show, televisão, Aparelhos de DVD, computador, microfone, pincel, tintas de tecidos, papel, câmera fotográfica, filmadora, cartolinas, régua, TNT, mural e espaço escolar, ônibus.

AVALIAÇÃO DO PROJETO

        A avaliação será continua através das observações de todo o processo, das pesquisas, apresentações e relatórios.

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

http://www.mda.gov.br/portal/noticias/item?item_id=10288150 acesso em 29/04/2013

http://biodanca.blogspot.com.br/2007/08/consumo-da-gua-no-mundo.html acesso em 27/04/2013

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meio-ambiente-agua/reuso-de-agua.php acesso em 25/04/2013

http://www.metodista.br/rronline/noticias/cidades/2012/11/bom-barato-e-sustentavel acesso em 24/04/2013

http://www.aquarum.eng.br/01/ acesso em 26/04/2013

http://www.atitudessustentaveis.com.br/atitudes-sustentaveis/sustentabilidade-reaproveitamento-da-agua/ acesso em 27/04/2013

http://www.greenpeace.org/brasil/pt/  acesso em 29/04/2013

 

 

 

 


 

—————

Voltar